Boa tarde amigos,

Posição às 18:50 UTC : 08°47.9N 055°20.8W
Rumo: 302 graus verdadeiros
Velocidade: 6.0 nós

Vento: 12 nós ENE.
Ondas: 2 metros 7 segundos, de alheta – confortável.
140 mn navegadas nas últimas 24 horas

O mar está calmo, vez por outra vem aquelas duas a três ondas maiores que, vindas de través, sacodem o barco. Todo navegante experiente sabe que sempre deve usar uma mão para se segurar no barco. Estava eu tranquilo, na dinete, sem segurar em nada e, claro, uma dessas ondas danadas me jogou de lado. Bati a perna na escada da gaiuta de entrada, e lá está um machucado na minha canela, para me lembrar de sempre estar segurando no barco, por mais calmo que esteja o mar.

A novidade são os sargassos, não tivemos isso na nossa travessia em 2010. A quantidade está aumentando. Um velejador da Martinica, que encontrei em Salvador, me havia alertado sobre esse fenômeno, que está acontecendo à barlavento das ilhas do Caribe.

Não vi a meteorologia ainda, mas se as condições de vento e mar continuarem assim, chegaremos terça, no começo da noite.

Ontem ficamos sabendo do atentado na França, pena. Assim fica difícil as coisas melhorarem nesse planeta.

Está tudo bem a bordo.

Abraço,
Dorival

Abraço, Dorival

De noite o bicho pegou. Vieram umas ondas de norte, que não tinham nada que ver com as do vento, e batiam com tudo no costado do barco. De manhã, bateu um cansaço, não deu nem vontade de jogar a isca na água. Se tivéssemos que brigar com um dourado, ele ia vencer; aliás, já venceu.

Já mudamos nossa hora local para a do fuso local. Menos 4 UTC.

Esperamos uma chegada em Tobago menos punk que da última vez, quando o Dorival teve que pegar o barco na mão e chovia sem parar. De qualquer forma, vai ser bom chegar.

Catarina