Boa tarde amigos,

Posição às 18:54 UTC : 09°47.4N 057°25.2W
Rumo: 302 graus verdadeiros
Velocidade: 5.0 nós

Vento: 15 nós ENE.
Ondas: 2,2 metros 7 segundos, de alheta – Bom.
137 mn navegadas nas últimas 24 horas

O Veleiro Green Nomad está cada vez mais próximo de nós, a cerca de 27 mihas, e já conseguimos contato via VHF. Durante esse contato, alguém apareceu fazendo murmulhos e terminando com “câmbio”, palavra que eu estava usando. O Luis nada ouviu. Depois, localizei no radar uma embarcação, não identificada por AIS, bem menor que o sinal dos navios, que ficou algum tempo em uma rota paralela à nossa, à 3 milhas de distância pelo nosso boreste. Depois, mudou o rumo, seguindo para a costa. Mais tarde, o Luis me disse que os avistou.

Não que fosse um perigo, apenas brincadeira de mau gosto, mas assusta. Resolvi diminuir a velocidade do Luthier para que o Green Nomad pudesse chegar mais perto. Agora estamos com contato VHF, já rizados para a noite. Seguiremos próximos até o destino. Uma cautela que não faz mal a ninguém.

Conforme o previsto, já estamos com o céu encoberto e devemos ter chuva até nossa chegada em Tobago.

Abraço,

Dorival

No nosso 12º dia de viagem já estamos com o corpo acostumado ao balanço do mar. Costumo dizer que, depois do terceiro dia, passou o período necessário à adaptação, e você acha que a vida normal é aquela. Capaz de enjoarmos quando pisarmos em terra. Porém, as noites de vigília, o sono entrecortado, vão acumulando um cansaço. Não vejo a hora de tomar a minha Pepsi com gelo, paradinha em terra, e ter um dia de pura preguiça (vai ser difícil, com tanta coisa fora do lugar para arrumar aqui dentro).

Catarina

PS: João, Rui, Júlio e demais, recebi seus e-mais, obrigado.